Como elaborar com sucesso um projeto de sistema CFTV IP

Não basta conhecer as tecnologias disponíveis no mercado para garantir um sistema de monitoramento de sucesso.

  • Cat. Notícias
  • Postado em: quinta-feira, 1 de março de 2018

Não basta conhecer as tecnologias disponíveis no mercado para garantir um sistema de monitoramento de sucesso.

Não basta conhecer as tecnologias disponíveis no mercado para garantir um sistema de monitoramento de sucesso. Embora seja, de fato, essencial saber quais são as vantagens e desvantagens de cada uma, principalmente para adaptá-las de acordo com a necessidade do cliente. Porém, num sistema CFTV IP há pré-requisitos básicos para começar o trabalho, baseados em grande parte na expertise em redes IP, que irão fazer com que haja um resultado eficiente. Por esse motivo, separamos algumas boas práticas e dicas que irão não apenas reduzir erros, mas fazer com que a escolha e implementação do sistema CFTV IP torne-se completamente articulado entre demanda e oferta.

Vantagens do sistema IP

Primeiramente, é preciso voltar para os benefícios do sistema IP, com destaque para a flexibilidade e escalabilidade. Em um projeto de sistema CFTV IP, há uma inteligência de gerenciamento indisponível em sistemas analógicos e HDCVI, por exemplo. Quando falamos em flexibilidade estamos nos referindo, inclusive, as inúmeras possibilidades de monitoramento que contam com uma estratégia completa por trás. O que, muitas vezes, é limitado quando se opta por um sistema analógico ou HDCVI. Além disso, num sistema CFTV IP é possível usar transmissão wireless. Confira algumas particularidades vantajosas do sistema IP para seu projeto de monitoramento:

  • Facilidade de acesso por parte do cliente das imagens gravadas ou ao vivo;
  • Gravação e transmissão de imagens em alta resolução;
  • Cobertura ampla da área com detalhamento acentuado de objetos ou pessoas;
  • Instalação facilitada pela conexão da câmera IP com a rede do cliente;
  • Dispensável o uso ou construção de uma infraestrutura duplicada para lançamentos de cabos para dados e alimentação elétrica;
  • Inteligência integrada naturalmente, em todos os modelos de câmera IP;
  • Inteligência especializada, com monitoramento de alto nível e diversas possibilidades de gerenciamento de informações;
  • Operadores com mais dados estratégicos para otimizar o sistema da empresa;
  • Possibilidade de integração completa num mesmo cabo: desde vídeo e áudio até entradas e saídas de alarme;
  • Dimensionamento facilitado: o sistema é tão escalável quanto a empresa, na medida em que for necessário crescer, será possível instalar e integrar câmeras, por exemplo;
  • Custo-benefício melhor: pensando na longevidade e na qualidade dos equipamentos, o custo acaba sendo menor. Embora se gaste mais inicialmente, há uma compensação no final, desde a necessidade de suporte, manutenção e ampliação do sistema CFTV IP.

CFTV IP: 3 fatores básicos sobre redes IP

Neste tópico, abordaremos as informações necessárias para que os instaladores possam tomar decisões acertadas durante a implementação de um sistema CFTV IP.

1. Largura de banda

Começando pela largura da banda, que pode ser considerado um dos principais pontos de um sistema CFTV IP. O que é natural, pois ao se pensar na quantidade de imagens geradas constantemente é preciso, igualmente, de um suporte adequado de banda. Neste caso, a largura pode influenciar diretamente no funcionamento do projeto, positiva ou negativamente.

Para manter um bom desempenho, é essencial que haja a mensuração de bits por segundo. Chamamos de Bitrate a velocidade ao longo do tempo, tal como num veículo. Ou seja, o correto é dizer que uma câmera gera um tamanho determinado de kbps, em que esse tamanho é transmitido em tantos segundos. Dentro disso, entra também a compressão de vídeo, que é realizada pela câmera antes de enviar o vídeo para a rede em um sistema IP. A largura de banda deverá ser mensurada por cada câmera, pois como falamos, pode haver variação de uma para outra dependendo da complexidade da cena visualizada. O que também muda é o Bitrate gerado em um dia da semana específico. Por exemplo, num domingo é menor que segunda-feira, justamente pela diminuição de movimento. Quando há um suporte para essa variação, chamamos de Taxa de Bit Variável.

Ainda há outros tópicos relacionados a isso que falaremos em outros artigos, como: consumo de banda, testes práticos, largura de banda e gravação, LAN vs. WAN, capacidade de largura de banda, largura simétrica ou assimétrica e dimensionamento de rede para vídeo.

2. Endereçamento de rede

Ainda no básico de redes para sistema CFTV IP, temos o endereçamento onde o foco é utilizar redes IP em câmeras e gravadores. É possível fazer endereçamentos diferenciados, como: endereço MAC e IP. Também há um cuidado com os conflitos de endereços e os formatos IPv4 e IPv6. Lembrando que o IP é único e se houver uma tentativa de utilizá-lo, haverá um conflito e não existirá comunicação com a rede. Outros assuntos relacionados: endereçamento estático vs dinâmico, classes de rede e redes públicas vs. privadas.

3. Equipamentos para redes

Um sistema CFTV IP depende de equipamentos específicos que operam em redes IP. Os switches são essenciais, pois conectam todos os equipamentos em uma rede IP. Existem 3 tipos: gerenciáveis, não gerenciáveis e PoE. É preciso ter cuidado também ao instalar um sistema CFTV IP em locais que possam existir hubs conectados, esses equipamentos não são mais utilizados por gerarem tráfego elevado de broadcast. Outro equipamento essencial são os roteadores, responsáveis pela conexão em múltiplas redes. Podem também possuir firewall para garantir maior sigilo aos dados da rede de vigilância.

Há mais tópicos básicos que falaremos em outras ocasiões, considerados imprescindíveis tais como: tecnologia PoE, VLANs, Unicast vs. Multicast, portas de rede, acesso remoto e cabeamento de rede. A Intelbras oferece capacitações gratuitas que englobam todos os temas acima, sendo oferecidas tanto nos modelo presencial quanto por educação a distância. Basta fazer um pequeno cadastro e aprender mais sobre segurança eletrônica, redes e telecom. Você pode acessar o portal de cursos e treinamentos, ler mais em nosso Blog e tirar suas dúvidas nos comentários!

Fonte: Intelbras

Compartilhar:
Preencha seu e-mail e receba as nossas novidades